quinta-feira, 15 de janeiro de 2009

Feminina

Feminina

Quisera ser, ao menos, teu brinquedo...
Qual passatempo de guri levado,
Pura alegria em fantasia insana,
Já que dos sonhos sou só arremedo.

Faz-me folguedo do adulto delírio,
Passa teu tempo a divertir-te em mim
Que enlouquecida, rastejante e nua,
Quero-te tanto e já não tenho alívio.

Submissão a ser o que quiseres,
Amante audaz ou meiga e cristalina,
Basta dizer-me quais os teus quereres.

Como entender minha alma feminina
Que faz de tudo, só para me veres,
Para em teus braços ser tua menina?

Tania Renato

2 comentários:

claudia helena villela de andrade disse...

Oi muiéeeeeeeee!!! te adoro sempre!!! Encontrei seu filho, Felipe, outro dia!!! Meu Deus, ficamos velhas...lembro dele de bermuda e mochila nas costas!!!! beijos enormes!!!! Adorei o blog!

Cristina Figueira disse...

Lindo texto! Seja bem-vinda! Cris*